30 de mai de 2013

Condições de vida no Brasil


Apenas 52,5% dos domicílios brasileiros têm abastecimento de água, esgoto sanitário ou fossa séptica, coleta de lixo e até dois moradores por dormitório, condições consideradas adequadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo os dados do Censo Demográfico de 2010, divulgados nesta quarta-feira (17), são 30 milhões de domicílios brasileiros que possuem essas características, de um total de 57,3 milhões.
O levantamento mostra 2,3 milhões de moradias (4,1%) não apresentam nenhuma dessas condições. Entre as regiões do país, o Norte apresentou o pior quadro, com apenas 16,3% de domicílios considerados adequados. Enquanto isso, no Sul (68,9%) e no Sudeste (59,35%) mais da metade das casas está ligada a redes de saneamento básico.
Há desigualdade também quando se leva em conta a cor dos moradores: 63% dos brancos vivem em domicílios adequados, enquanto esse percentual cai para 45,9% entre os pretos e 41,2% entre os pardos.
Em 2010, o rendimento médio do domicílio adequado era de R$ 3.537,95. O ganho das moradias semiadequadas era de R$ 1.746,35. Nas casas inadequadas, o valor era de R$ 708,94.
Com relação ao abastecimento de água, o IBGE aponta que houve crescimento em todas as regiões, que apresentam índices acima dos 50%. O Nordeste teve o maior crescimento, saindo de 52,8%, em 1991, para 76,3% em 2010.De acordo com dados do Censo 2010, a pior situação entre os serviços analisados é do tratamento de esgoto: apenas o Centro-Oeste (51,8%) possui mais da metade das residências com esgotamento sanitário ou fossa séptica. Na região Norte, entre 2000 e 2010, o número de casas com esse tipo de serviço caiu de 36,3% para 32,9%.
O Censo 2010 mostra ainda que o serviço de coleta de lixo foi ampliado em todas as regiões. Entre 1991 e 2010, a região Norte passou de 36,9% de atendimento para 74,4%. O Nordeste saiu de 41,6% para 75%.
O IBGE também avaliou o fornecimento de energia elétrica, que chega a quase todos os domicílios do Sul (99,3%) e do Sudeste (99%).
Região
         Moradia
Própria
Alugada
Norte
77,2%
14,2%
Nordeste
76,9%
15,1%
Sudeste
71,8%
19,9%
Sul
75,1%
16,8%
Centro-Oeste
65,1%
23,2%
*Fonte: IBGE, Censo 2010.
Moradores por domicílio
Para medir o bem-estar dos brasileiros, o Censo 2010 também avaliou quantos domicílios possuem até dois moradores por dormitório, número considerado adequado. No Brasil, o índice de residências nesse padrão passou de 62,9% em 1991 para 81,9% em 2010.
Na região Sul, 90,1% dos domicílios têm até dois moradores por quarto, enquanto no Norte apenas 66,2% se enquadram nessa característica.
Outro fator de adequação é a presença de paredes externas revestidas e casas de alvenaria. O  Censo 2010 mostra que 80% dos domicílios possuem ambos.
Entre as regiões, o Sudeste tem o maior percentual (88,6%) das casas com esse tipo de construção. As regiões Norte e Nordeste são as que mais apresentam domicílios com paredes externas de alvenaria sem revestimento, 13,3% e 12,3% respectivamente.
Tipo de moradia
O levantamento apontou que no Brasil há predomínio de casas (88,6%) em comparação com os apartamentos (10,8%).
De acordo com o Censo 2010, a maioria dos brasileiros vive em domicílios próprios (73,5%), seguido por habitações alugadas (18,0%) e cedidos (7,8%).
Entre as regiões, o Norte tem 77,2% das residências próprias. Depois aparecem Nordeste (76,9%), Sudeste (71,8%), Sul (75,1%) e Centro-Oeste (65,1%).

_________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário