1 de ago de 2013

Desabafo / Alerta

Bom meninas começo falando um pouco de mim, quem me conhece vai relembrar e quem não me conhece vai entender o motivo do texto. Em setembro de 2010 conheci um argelino no site busuu, é um site de línguas que muitas conhecem. Na época eu fazia aulas de francês e árabe, pois já tinha me convertido ao Islam em 2009. Na verdade nem sei como fui falar com ele, porque eu nunca falei com quase ninguém nesse site e muito menos com alguém sem foto no perfil, mas enfim o destino deu uma mão rs. Resumindo, conversa vai, conversa vem, depois de uns 15 dias nos falando direto fomos pro skype, eu vi ele, ele me viu e tudo bem, ficamos assim até dezembro quando enfim vimos que não tinha jeito e falamos de casar, foram quase 2 anos sofridos nesse relacionamento virtual e sofrido mesmo, chegamos até a terminar em junho de 2011 devido as dificuldades em tudo. Em 2012 ele tentou o visto por 2 vezes e mesmo cumprindo todos os requisitos o visto foi negado. Foi então que tomei a decisão de sair do Brasil e correr atrás do que eu acreditava, e assim foi., saí do Brasil no dia 02/10/2012 e até hoje não voltei. Nesse meio tempo casamos, viemos aqui pra cidade dele e etc. Às vezes eu tento alertar ou dar conselhos para meninas que eu vejo que estão numa situação meio parecida porém mais enrolada e já cheguei a ouvir até que eu me acho dona da razão porque casei com um estrangeiro e o relacionamento deu certo (oi???). Primeiro não me acho dona da razão porque não sou, segundo casei sim com um estrangeiro e sim até agora o saldo tem sido positivo porém minha relação está longe de ser perfeita. As pessoas me veem mas não sabem o quanto eu já chorei aqui, o quanto eu já discuti e as vezes que arrumei minhas malas pronta pra abandonar tudo e voltar pra casa (as pessoas mais próximas de mim sabem bem disso). Por essa vivência na pele e também pela conversa com outras mulheres que tem relacionamento intercultural (a distancia ou não) eu pude perceber algumas coisa que vou dividir com vocês, espero que não me levem a mal mas é a realidade que eu vejo. Relacionamento por si só já é difícil, se é intercultural fica 10 vezes mais difícil e se é intercultural e religioso aí isso dobra rs.... E a dificuldade não é só pras mulheres não, para o estrangeiro também é muito difícil tudo, então antes de se jogar de cabeça por favor pensem um pouco e reflitam. - Ninguém morre de amores ou vai morrer por alguém que nunca viu. Sim a gente acaba criando um carinho, um apego mas amor amor vem com o tempo e com a convivência então sem essa de “ah vou mudar toda a minha vida porque ele não gosta que eu saia, ele não gosta que eu tenha amigos, ele não gosta que eu respire e etc.”. Sim é inevitável e a gente acaba mudando algumas coisas mas às vezes eu vejo mulheres se transformando totalmente por causa de um cara que tá a mais de 8000/10000 km de distância e sem nunca ter visto ele. Peraí tudo tem limite... o que tem de mulher sem personalidade por aí não tá escrito... deixa de ter vida, muda de religião, muda roupas, muda até o nome... tudo bem eu não condeno mas acho totalmente desnecessário. - Google tradutor não resolve a vida de ninguém, pode resolver sim quando você tá longe, dá pra quebrar um galho agora na vida real não tem dessa não. Já vi e vejo mulheres viajando pro país do namorado/marido sem noção NENHUMA da língua dele, nem de inglês nem de nada..já presenciei com meus olhos mulher falando com o marido em português e gesticulando pra fazer ele entender e ele vice versa. Já presenciei também casal que quando quer falar coisa importante vai pro computador e se falam por google tradutor. Gente o que que é isso? Eu que fiquei louca ou o povo que tá sem noção mesmo? Me diz como você vai passar uns dias ou muitas vezes até morar num país onde você não tem a mínima condição de se comunicar ou de se fazer entender? Me desculpa mas pra mim isso não dá. Não precisa ter a língua fluente porque afinal você pode ir aprimorando com o tempo mas no mínimo o básico tem que ter, até pra se você tiver algum imprevisto poder se virar sozinha. Se você se perder, for assaltada ou sei lá o que vai fazer o quê??? Mímica? - Já foi dito e em todos os blogs/sites e afins que eu leio é dito sempre mas tem gente que ou não lê ou lê e passa batido ou é burra mesmo...NUNCA, JAMAIS EM HIPÓTESE NENHUMA envie dinheiro pra NINGUÉM. Não importa se a mãe morreu, se ele foi sequestrado, se o cachorro dele foi atropelado NÃO MANDE... homem que é homem, e ainda mais se for muçulmano, se for sério JAMAIS vai te pedir isso e mesmo se você oferecer ele NÃO vai aceitar. Mandar dinheiro pra ajudar nos documentos? Pagar passagem? Mandar dinheiro pra comprar um café no aeroporto? Sai fora... homem que é homem e sério se garante, se ele quer ir pro Brasil que vá com as próprias pernas. Não precisa de ninguém pra ficar vendo quais documentos ele precisa pro visto e muito menos de alguém pra bancar a viagem dele. - Coloquem na cabeça que as culturas são diferentes. Se você acha que vai viajar e vai encontrar um Brasil perdido em outro continente desista da ideia. Muitos países têm uma cultura machista sim, uma cultura fechada sim. Você não terá a liberdade que tem no Brasil (falo isso dos países de maioria muçulmana). Te dou um exemplo, eu moro atualmente aqui na Argélia, na cidade de Constantine e aqui mulheres não entram em cafés, são lugares restritos aos homens, tem uma rua no centro da cidade que mulher não pode passar pois é uma rua de comércio de roupas/acessórios para homens então na cabeça deles não tem o que uma mulher fazer lá. Quer comprar roupa pro teu marido? Vai a outro lugar porque lá não pode. Apesar de muitas mulheres trabalharem a obrigação de lavar, passar, cozinhar é exclusiva delas, então não pense que você vai trabalhar o dia todo e teu marido vai ajudar você com as tarefas da casa porque em 80% dos casos ele não vai. Pode ser que com o tempo isso mude mas aí haja stress e paciência. Uma dica? Leia e leia muito sobre a cultura e principalmente sobre a religião mesmo se você não tiver intenção nenhuma de se converter um dia. Você lendo vai ver que mais da metade das coisas culturais estão ligadas a religião. E se prepare psicologicamente antes de viajar pra todas essas diferenças e pra não sofrer um choque muito grande dependendo do país. É muito válido também conversar e muito sobre essas coisas com o parceiro, porque assim você não terá surpresas com as atitudes dele. O meu por exemplo aqui não deixa eu sair sozinha em hipótese nenhuma, é sempre com ele ou com as irmãs, mãe etc. É ruim? É.. Me acostumei? Não, mas eu já sabia que seria assim. - Religião... como eu disse, mesmo que você não tenha intenção de se converter é bom conhecer pra entender melhor o seu marido e atitudes dele. É normal o marido muçulmano querer fazer descer a religião dele pela goela da esposa (é o que as meninas não convertidas mais reclamam) mas nesse caso, dê um chega pra lá (claro se você não quiser realmente se converter) porque afinal ele já te conheceu cristã e te aceitou, então não tem nada que ficar enchendo o saco. Se você quer se converter aproveite mas que seja de coração e não por causa de homem, por favor!!! Porque tem umas e outras aí que eu vejo que é só arranjar um muçulmano que tá metendo foto de hijab (véu) no perfil aí você vai olhar as outras fotos da moça e tem coisas que até Deus duvida e isso é mais ridículo do que vocês possam imaginar e inclusive motivos de chacota aqui pra esses lados (eu já vi várias vezes). - Quer fazer sexo virtual, mandar foto sensual ou estilo playboy pro moço? Fique a vontade... só depois não venha reclamar que todo muçulmano não presta e nem vir chorar nos grupo dizendo “ah meu Deus ele me largou como ele é cachorro e etc etc etc.”... ele é cachorro? Sem duvida, já foi cachorro de te pedir alguma coisa desse nível, aí se você deu trela e entrou na dele não tem direito nenhum de reclamar depois, você já estava sabendo. Sabemos bem a fama que as brasileiras têm, você só vai servir pra ele confirmar isso e claro você será diversão garantida pra ele e pelo menos mais uns 10 amigos que ele vai distribuir seus vídeos e fotos... no fim você pode ficar feliz afinal fez uma caridade. E no mais pensem que as mesmas dificuldades que vocês têm eles também têm. Meu marido até hoje não se acostumou com uma mulher que debate coisas com ele, que questiona as coisas que ele diz, que quer ser independente, sair, trabalhar e etc., ele está se acostumando sim mas é difícil. Não posso dizer “ah ele é machista”, ou “ah ele pensa que é o rei”... não é isso, quando eu paro pra pensar na sociedade em que ele foi criado eu vejo que ele não poderia pensar de outra forma. Aí vou culpar ele por ser assim? Eu não posso, não seria justo. Por isso diálogo é essencial, você dizer ao outro o que te incomoda e estar preparada pra ouvir isso dele também vale ouro. Não pense que é só você quem está com dificuldades porque não é e pras eles muitas vezes a dificuldade é em dobro. Pra quem realmente vai enfrentar isso de relacionamento intercultural eu digo, é difícil sim. Você vai encontrar muitas dificuldades e nesse caso se o teu parceiro não te ajudar você não aguenta o tranco. Como eu disse eu já pensei em jogar a toalha várias vezes, várias foram as vezes que eu arrumei as malas de verdade e estava saindo para ir embora. Graças a Deus meu marido é paciente demais e me suportou todos esses meses, nunca me deixou desamparada e eu acredito que existem muitos homens por aí como ele ou melhores... mas não podemos esquecer os cafajestes portanto vai cair de cabeça numa relação dessa? Caia mas não perca o bom senso, não é porque você ama que você precisa aceitar tudo de cabeça baixa. Relacionamento é isso, são as duas partes trabalhando juntas pro bem dos dois. Ninguém sustenta relacionamento sozinho e se for esse o caso, é melhor rever porque realmente não vale a pena. Enfim espero que todas vocês sejam felizes solteiras, divorciadas ou casadas com árabe, turco, indiano, japonês, europeu, brasileiro, muçulmano, cristão, espírita, ateu, hindu, budista, não importa, mas que vocês sempre se coloquem acima de qualquer pessoa e se amem mais do que vocês amam ao outro, pois se você não se valorizar não vai ser o parceiro que vai fazer isso por vocês. Espero ter ajudado alguém de alguma forma.

Mony

Um comentário:

  1. Concordo plenamente, relacionamento intercultural e ainda com diferença de religião é muito difícil e leva muito tempo para ambos se acostumarem um com outro, a fase de adaptação é complicada e nem tudo é mar de rosas, muitas vezes precisamos aceitar mas muitas eles também precisam aceitar, claro que demora, pois os Argelinos são "custosos" e não aceitam muitas coisas que na nossa cultura é normal, mas tudo é adaptação e muita paciência, fora claro, o dialogo que deve ser fundamental em uma relação assim! Faço votos de felicidades para ti, como faço para mim também, só quem tem um sabe como é! rsrs.... E concordo que não precisamos sempre abaixar a cabeça não, pelo contrário, tem coisas que não dá para abaixarmos, então precisamos sim bater de frente mais com um bom argumento, assim conseguimos o que queria, também vejo mulheres que casam e namoram e não falam o básico da língua, totalmente loucura, sem falar que o google tradutor não é 100% confiável, então ESTUDEM não só a religião, costumes e o país mas principalmente as línguas que eles falam, assim é mais fácil.... Eu falo em inglês, as o arabe o francês atualmente tem entrado muito em pauta, pela necessidade de comunicação com a família, como ele também tem aprendido e estudado diariamente o português para falar com a minha família! Digo a todas, independentemente de com quem namoram e se é virtual ou não: não coloquem os pés entre as mãos, andem com calma, analisem e pensam tudo antes de fazer para não se arrepender depois... E concordo muçulmano que realmente respeita a religião jamais pedirá nada que possa ofender sua honra, isso se ele realmente quiser algo sério! Allah esteja com você sempre! Beijos

    ResponderExcluir