25 de jan de 2014

Nem tudo são flores...

Oi pra todo mundo...eu estava pensando e tem tanta gente que cria uma expectativa em torno de um relacionamento "gringo" (seja ele qual for..com europeu, americano, árabe, indiano, japonês.....) que acho q as pessoas perderam a noção da realidade. Ao mesmo tempo que pessoas que não vivem isso acham que a gente habita num conto de fadas. 
Queridas (os)...não nem tudo é lindo, não nem tudo é como nas novelas, não nem tudo é como a gente gostaria que fosse e nem a metade do que as pessoas que estão de fora pensam que é.
Vou falar por mim. Quando eu cheguei na Tunísia em outubro de 2012 já as coisas não foram só o paraíso, claro que num primeiro momento a gente está naquela empolgação de conhecer um ao outro, ao novo país, uma nova cultura etc etc etc...mas aí no meio de tudo isso aparecem problemas burocráticos, problemas com papelada pro casamento, problemas pra conseguir um atendimento decente na embaixada, idas e vindas do meu marido pra Argélia regularizar os papéis dele que nessa encheção de saco acabaram expirando..enfim...depois de mais de 1 mês enfim o casamento, alegria, festa, bolo, henna etc etc..fomos felizes para sempre? Ainda não..começava a saga pelo visto..mas antes disso um acidentezinho básico ainda na Tunísia que nos fez perder em torno de 1 semana e mais vários euros.....vai papéis vem papéis (agora já na Argélia), vai na embaixada, volta da embaixada, leva um papel pedem outro, chamam pra entrevista do FBI, teu marido é tratado como bandido, solicitam mais papéis aí enfim você consegue fazer o bendito pedido do visto (isso em fevereiro de 2013, ou seja, 3 meses depois do casamento)...que bom agora é alívio certo? Errado...o visto mesmo foi sair só final de maio e nesses meses foram vários desentendimentos, várias ameaças de voltar pro Brasil sozinha (sim tenho essa cara de boazinha mas arrumei a mala pelo menos umas 5 vezes pra vir embora rs)...não é fácil, uma nova cultura, as dificuldades de começo de casamento, morar com a família dele, ter deixado situações mal resolvidas no Brasil (poucos sabem mas eu tinha saído de férias só e quando decidir ficar lá e esperar perdi tudo o que tinha aqui...emprego, móveis, roupas, sapatos, etc) então tudo isso pesava e muito. Eu tinha minha vida lá mas ao mesmo tempo também tinha a vida aqui e não estava conseguindo viver nenhuma das duas, isso refletiu e reflete ainda no relacionamento a dois.
Enfim, em agosto chegamos ao Brasil....relaxamos? Claro que não rs..Ficamos uns dias no Rio e logo viemos a Curitiba para ir a luta. Eu tinha alugado uma kitinete quando estávamos lá na Argélia ainda, coisa que obviamente não poderia ter dado certo, e não deu...foram os piores meses da nossa vida desde que casamos, a casa era um muquifo, a dona louca que não nos dava paz, entrava na nossa casa sem permissão e outras coisas mais. Isso tudo junto e misturado com meu marido sem emprego e sem saber falar, eu já trabalhando, a descoberta de estar grávida e gastos e mais gastos com papéis. Se eu fiquei bem? Certamente não e ainda não estou mas enfim, resumindo, hoje as coisas estão um pouco melhores, em novembro meu marido começou a trabalhar, este mês mudamos pra uma casa decente, mas ainda não conseguimos colocar as coisas nos eixos, eu tenho estado bastante estressada por conta da gravidez, meu marido não entende muito (ele acha que me estresso a toa), eu ando também carente e vamos combinar que carinho fora de hora não é o forte do povo de lá (eu acho que ele é frio, ele acha que eu sou grudenta), ele ainda não está conseguindo falar bem português, erro meu confesso porque não tenho a menor paciência de ensinar ele muito menos de falar em português em casa e assim as coisas vão andando a passos de tartaruga. 
O futuro a Deus pertence mas olha que se alguém chegasse pra mim hoje e me desse 2 passagens de ida pra Argélia eu ia na hora rs. As coisas aqui não são tão fáceis quanto eu imaginava que seriam (e isso que sempre fui pé no chão e não fico fantasiando igual várias Alices que vemos por aí).
E a verdade é que me dói mas meu marido não gosta do Brasil. Não gosta do nosso modo de vida, da nossa cultura, das nossas comidas, de nada de nada, ele não reclama de nada mas eu sei que ele está infeliz aqui e isso me dói, porque se ele está aqui é por minha causa. Ele não tem a empolgação geral dos gringos que vem pra cá, ele adora sim a cidade, elogia o trasporte, o urbanismo etc, mas só. Ele saiu de Constantine mas Constantine não saiu dele rs.
O engraçado é ver gente que acha que nós vivemos um lindo conto de fadas, sem problemas, felizes para sempre. O que me deixa feliz é que apesar dos pesares um ajuda o outro. Quando eu estou pra baixo ele tenta me erguer e vice versa..podemos estar na m*** mas estamos um dando força pro outro rs....quem sabe por isso está ainda dando certo, mas pra quem quer se arriscar nessa vibe de casamento com gringo, esteja consciente que nem tudo será fácil e nem tudo será lindo. Desconfie de histórias perfeitas demais (incrivelmente tem gente que adora pintar que vive um sonho quando na realidade esconde um pesadelo).
Bom, sei lá que qualidade esse post te se é um desabafo, um informativo, inutilidade ou tudo isso junto rs mas espero que possa servir pra alguém que está nessa mesma situação (ou que pense em entrar nessa canoa furada..minha filha não faça isso não rs).


P.S: Críticas, dúvidas, sugestões, envio de presentes, passagens, dinheiro em espécie, cheque, uma babá, uma empregada, um emprego novo pro marido, móveis, roupinhas de bebê, fraldas,  professor de português particular na faixa pro marido e demais itens de extrema necessidade por gentileza fiquem á vontade nos comentários rs.

7 comentários:

  1. O que você escreveu é de extrema utilidade. Também gosto de deixar bem claro nos meus posts que essa vida de Maya e Jade só existe em novela e nossa vida aqui no Brasil não é fáci, desde adaptação, dinheiro, trabalho, tudo. Quando alguma mulher escreve que tudo são flores, a vida deles é perfeita, o amor é maior que tudo e adaptação do marido é perfeita eu desconfio mesmo. Claro que a gente espera isso, mas a gente sabe que não é assim. Meu marido também não ama o Brasil, não gosta da forma como vivemos, dessa liberdade toda, etc, eu sei que ele apenas tolera porque não tem outro jeito, mas por ele íríamos embora daqui o quanto antes. No primeiro ano ele reclamava todo dia. Só te digo que isso vai passar, vai melhorar com certeza mas a Argélia nunca vai sair dele assim como o Brasil nunca vai sair da gente. Gostaria de falar com você através de um e-mail, por favor me mande um e-mail cafecomchai@hotmail.com

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!! Precisava ver alguma realidade neste momento.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, vou te mandar um email...obrigada pelo comentario :)

    ResponderExcluir
  4. adorei tudo que você colocou afinal eu estou em uma situação parecida

    ResponderExcluir
  5. Descobrindo uma nova cultura, mas sempre de olhos bem abertos e pé no chão...adorei tudo o que li aqui, de extrema importância..

    ResponderExcluir
  6. Amei tudo. Esse blog é ótimo. Essas meninas que vivem um casamento PERFEITO é mentira. Meu marido tb nao gosta do Brasil, reclama diariamente. Mas nao sei se vale a pena ir pra argelia. A adaptaçao de uma braseira la é dificilima.

    ResponderExcluir